Menu Right

Top Social Icons

Slider Area 1

Slider Area 2

Slider Area 3

Responsive Full Width Ad

Turismo

Notícias do Vale

Notícias Recentes

Saúde

Gastronomia

Turismo

Beleza

Saúde

Internacional

Famosos

ONGs

Pets

Anuncie

21/09/2020

A Baronesa de São José Dos Campos melhor Restaurante e Pizzaria da região.

 

A Baronesa de São José Dos Campos melhor  Restaurante e Pizzaria da região


O restaurante a Baronesa de São José é incrível. Ambiente gostoso , aconchegante em um casarao antigo, porém totalmente modernizado. Arejado, iluminado e com uma comida espetacular.
Lá tem uma ampla variedade de pratos, porções, petiscos, a tradicional feijoada de sábado, bebidas e pizzas com sabores exclusivos.
O destaque vai para o parmegiana que serve muitas pessoas, mais do que descrito no cardápio. Uma qualidade incrível, o sabor maravilhoso. A pokenta que acompanha o prato é um show a parte. A mais gostosa que já comemos.
Eles também contam com pizzas a noite, que torna o restaurante ainda mais aconchegante. Ah as pizzas são recheadas e a massa "perfecta".
Tem também Espaço Kids com monitor e estacionamento com manobrista
A Baronesa de São José é um restaurante e pizzaria especial para comemorar a vida e o comer bem.

Telefone

Delivery: 3911-3887

Horário de funcionamento

De terça a sexta-feira das 18h às 0h, aos sábados das 12h à 01h e, aos domingos  e feriados das 12h à 0h.
Redes sociais
Facebook: abaronesadesaojose
Instagram: abaronesadesaojose

Endereço

Avenida Shishima Hifumi, 2103 – Urbanova – SJCampos

 



 


Pinda comemora Dia da Árvore com plantio de mudas

 

Pinda comemora Dia da Árvore com plantio de mudas

Pindamonhangaba, terra natal do Engenheiro João Pedro Cardoso, criador das comemorações do Dia da Árvore, neste dia 21 de setembro, está comemorando a data com o plantio de inúmeras mudas de árvores em todos os cantos da cidade.Segundo a Secretaria de Meio Ambiente, neste mês de setembro, o plantio de novas árvores está sendo ampliado para comemorar a data.
No bairro do Castolira, o projeto comunitário Semeando Valores, logo na entrada do bairro recebeu o plantio de 33 mudas. No Residencial Lessa o plantio aconteceu em duas etapas e já recebeu 41 mudas, deixando a área verde do bairro ainda mais verde.
Na data de hoje diversos pontos no bairro Jardim Araretama, Distrito de Moreira César e também no Parque da Cidade está recebendo o plantio, através do trabalho dos servidores da Secretaria de Meio Ambiente
Devido à pandemia do coronavírus, o município não está celebrando a data com diversas ações educativas e ambientais como realiza todos os anos.

* Quem foi João Pedro Cardoso

O Engenheiro Dr. João Pedro Cardoso nasceu em nossa cidade no dia 17 de janeiro de 1871, no casarão localizado na esquina das ruas Sen. Dino Bueno e Prudente de Moraes (onde funcionou o Colégio Comercial Dr. João Romeiro e hoje sede da Secretaria Municipal de Educação). Formou-se engenheiro pela Escola Politécnica do Rio de Janeiro e trabalhou em diversas companhias ferroviárias, colaborando na expansão da antiga Estrada de Ferro Central do Brasil, e foi nomeado Inspetor de Agricultura de várias regiões do Estado de São Paulo.
Em 07 de junho de 1902, atuando na cidade de Araras (SP), o Engº João Pedro Cardoso organizou a Festa das Árvores, quando reuniu diversas autoridades do Estado para um evento que objetivou propagar a preservação das árvores e aumentar nosso espaço verde com plantio de novas espécies.
A conscientização ambiental e a importância de preservar nossas florestas ganharam destaques e diversas cidades no Estado passaram a realizar eventos semelhantes, o que possibilitou posteriormente a instituição do Dia da Árvore, sempre comemorado no início da primavera. Nos EUA, desde 1872, esse tipo de conscientização já acontecia através do tradicional “Arbor Day”.
João Pedro Cardoso faleceu aos 86 anos, em 08 de julho de 1957, na capital paulista. Em Pindamonhangaba, foi homenageado com a denominação de Ginásio Estadual de Ensino (1970) e como patrono do Viveiro Florestal (2000).



TST determina fim da greve dos Correios.

 

TST determina fim da greve dos Correios


O Tribunal Superior do Trabalho (TST) decidiu determinar o fim da greve dos funcionários dos Correios e o retorno ao trabalho a partir desta terça-feira (22). O tribunal julgou nesta tarde o dissídio de greve dos trabalhadores da estatal, que estão parados desde 17 de agosto, diante das discussões do novo acordo coletivo.
Por maioria de votos, os ministros da Seção de Dissídios Coletivos consideraram que a greve não foi abusiva. No entanto, haverá desconto de metade dos dias parados e o restante deverá ser compensado. Além disso, somente 20 cláusulas que estavam previstas no acordo anterior deverão prevalecer. O reajuste de 2,6% previsto em uma das cláusulas foi mantido.
Segundo a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas dos Correios e Similares (Fentect), a greve foi deflagrada em protesto contra a proposta de privatização da estatal e pela manutenção de benefícios trabalhistas. Segundo a entidade, foram retiradas 70 cláusulas de direitos em relação ao acordo anterior, como questões envolvendo adicional de risco, licença-maternidade, indenização por morte, auxílio-creche, entre outros benefícios.
Durante a audiência, os advogados dos sindicatos afirmaram que a empresa não está passando por dificuldades financeiras e que a estatal atua para retirar direitos conquistados pela categoria, inclusive os sociais, que não têm impacto financeiro.
Os representantes dos Correios no julgamento afirmaram que a manutenção das cláusulas do acordo anterior podem ter impacto negativo de R$ 294 milhões nas contas da empresa. Dessa forma, a estatal não tem como suportar essas despesas porque teve seu caixa afetado pela pandemia.
A empresa também sustentou que não pode cumprir cláusulas de acordos que expiraram, sob forma de “conquista histórica” da categoria.

Marinha recolhe quase 200 kg de lixo em praias de São Sebastião, Caraguá e Ilhabela

 

Marinha recolhe quase 200 kg de lixo em praias de São Sebastião, Caraguá e Ilhabela


Uma ação da Capitania dos Portos recolheu quase 200 quilos de lixo em praias de São Sebastião, Caraguatatuba e Ilhabela neste sábado (19).
Segundo a Delegacia da Capitania dos Portos de São Sebastião, a ação aconteceu em comemoração ao Dia Mundial da Limpeza, comemorado no dia 19 de setembro.
Ao todo 78 pessoas, sendo 30 militares da Marinha, passaram por diversas praias das três cidades e recolheram 188 quilos de lixo – um total de 1.800 m³ de materiais descartados incorretamente

Motociclista morre em acidente na Manoel César Ribeiro em Pindamonhangaba

 

Motociclista morre em acidente na Manoel César Ribeiro em Pindamonhangaba


No final da tarde desta segunda-feira (21), uma motociclista de 25 anos morreu, após se envolver em um acidente com um caminhão, na rodovia Professor Manoel César Ribeiro, em Pindamonhangaba.
De acordo com informações, o acidente aconteceu por volta das 17h e a motociclista acabou sendo atingida por um caminhão logo após acessar a rodovia, na saída do bairro Maricá.
A vítima foi atendida pelas equipes do Corpo de Bombeiros e do SAMU e encaminhada ao pronto-socorro, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.
As circunstâncias do acidente serão apuradas.

São Paulo vai receber 5 milhões de doses da CoronaVac em outubro

 

São Paulo vai receber 5 milhões de doses da CoronaVac em outubro


EXPECTATIVA DO GOVERNO É RECEBER 46 MILHÕES ATÉ DEZEMBRO

Até outubro, o governo de São Paulo vai receber as primeiras 5 milhões de doses da CoronaVac, vacina contra o novo coronavírus que está sendo desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac com apoio do Instituto Butantan. Segundo o governador João Doria, o estado deve receber 46 milhões de doses do imunizante até dezembro.
O acordo feito pelo governo paulista com a Sinovac prevê, inicialmente, o envio de doses prontas ou semiprontas da CoronaVac fabricadas na China. Também há previsão de transferência de tecnologia, ou seja, o Instituto Butantan poderá produzir doses dessa vacina.

Publicidade

A CoronaVac já está na fase 3 de testes em humanos. No Brasil, os testes tiveram início em julho, com 9 mil voluntários em centros de pesquisas de seis unidades da Federação: São Paulo, Distrito Federal, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Paraná. Caso seja comprovada a eficácia, a vacina terá de ser aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) antes de ser disponibilizada para imunização no Brasil.
A vacina é inativada, ou seja, contém apenas fragmentos do vírus, inativos. Com a aplicação da dose, o sistema imunológico passaria a produzir anticorpos contra o agente causador da covid-19, a doença provocada pelo novo coronavírus. No teste, metade das pessoas receberá a vacina e metade receberá placebo, substância inócua. Os voluntários não saberão o que vão receber. A vacina está sendo aplicada em duas doses.

Plano estadual

Em entrevista concedida no Palácio dos Bandeirantes, Doria voltou a dizer que a intenção do governo paulista é repassar a vacina para o Ministério da Saúde para que o imunizante possa ser distribuído a toda população.
Ele admitiu, no entanto, que já existe um plano estadual alternativo para distribuição da vacina, caso não seja feito um acordo com o governo federal. Neste caso, a vacinação aconteceria somente para os moradores do estado de São Paulo, população estimada em cerca de 45 milhões de pessoas.
“O que eu posso garantir é que os brasileiros que residem em São Paulo não vão ficar sem a vacina”, disse Doria.

Prefeitura de São José abre 1.000 vagas para programa de castração gratuita

 

  

Prefeitura de São José abre 1.000 vagas para programa de castração gratuita
A Prefeitura de São José dos Campos abre nesta terça-feira (22) 1.000 vagas para o programa de castrações gratuitas de cães e gatos. Os interessados devem fazer a inscrição a partir das 9h, pelo site.
De acordo com o município, serão encerradas as inscrições após o preenchimento total das vagas disponibilizadas. As convocações se darão por e-mail e telefone informados no cadastro e mediante a capacidade de atendimento por espécie e sexo, seguindo a ordem cronológica das inscrições.
Para fazer a inscrição, é preciso preencher o formulário com dados corretos e atualizados. Depois, o interessado precisa acompanhar pelo e-mail e telefone cadastrados o chamado feito pelo CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) para agendamento da cirurgia.

Para se inscrever, o tutor do cão ou gato deve residir em São José dos Campos e ter idade mínima de 21 anos, os animais não podem ser utilizados para fins comerciais ou de competições e deve estar em boas condições de saúde. Para as fêmeas, é necessário que elas não estejam no cio, prenhas ou amamentando no dia da cirurgia.
Os animais de até 20 quilos e os que tiverem entre 20 e 30 quilos devem ter idade entre seis meses a oito anos. Os que tiverem mais de 30 quilos devem ter idade entre seis meses a seis anos. Cães e gatos braquicefálicos (focinho achatado) não são contemplados pelo programa.

31/08/2020

Estado de São Paulo ultrapassa 30 mil mortes pela Covid-19

 

Estado de São Paulo ultrapassa 30 mil mortes pela Covid-19

Estado de São Paulo ultrapassou a marca de 30 mil mortes provocadas pela Covid-19 nesta segunda-feira (31), com 30.014 registros. Segundo o governo, foram 36 óbitos confirmados nas últimas 24 horas, além de 938 novos casos, em um total de 804.342 já infectados.
De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde, há 4.955 pessoas internadas em estado grave no estado, em casos suspeitos ou confirmados do vírus. Há ainda outras 6.132 internadas em alas de enfermaria. A doença já é presente nas 645 cidades do território paulista.
Apesar dos dados alarmantes, o governo informou ter registrado queda no número de mortes pela terceira semana consecutiva. Foram 1.552 óbitos durante a última semana, 60 registros a menos do que no mesmo período anterior. Por outro lado, houve um leve aumento nos casos: de 52.178 novas confirmações na semana passada, ante 51.714 na semana anterior.

AGLOMERAÇÃO.
Após um fim de semana de praias lotadas no interior paulista, o governador João Doria (PSDB), em coletiva, voltou a abordar a necessidade de isolamento social na quarentena.
"Não temos razões para celebrar. Temos razões para nos preocupar. Os resultados positivos de São Paulo não justificam o relaxamento", afirmou. "A celebração só virá após a imunização com a vacina. Até lá precisamos ter resiliência, paciência, compreensão e proteção a vida", acrescentou.

Polícia Ambiental apreende balão de mais de 80 metros em Guaratinguetá

  

Polícia Ambiental apreende balão de mais de 80 metros em Guaratinguetá

 Depois de ao menos duas apreensões de balões na região no final de semana, a Polícia Ambiental voltou a apreender o objeto na tarde desta segunda-feira (31) em Guaratinguetá. Ninguém foi detido.
De acordo com a equipe, a apreensão ocorreu durante uma ação de patrulhamento em uma área de mata da cidade. O balão, de mais de 80 metros, estava em um barranco e foi puxado por viaturas. Em seu interior, foi encontrado um dispositivo eletrônico capaz de acionar explosivos a longa distância.
O caso foi registrado junto à Polícia Civil. A prática de fabricar, vender, transportar ou soltar balões que possam provocar incêndios é configurada crime ambiental.

Governo propõe salário mínimo de R$ 1.067 para 2021, sem aumento real.

 

Governo propõe salário mínimo de R$ 1.067 para 2021, sem aumento real.

Pelo segundo ano seguido, o salário mínimo não deve ter aumento real. A proposta do Orçamento para 2021, encaminhada pelo governo nesta segunda-feira, prevê que o piso fique em R$ 1.067, uma alta de 2,09% em relação ao valor em vigor neste ano, suficiente apenas para repor a inflação medida pelo INPC.
Entre 2011 e 2018, vigorou no país uma política de reajuste do salário mínimo que determinava que o piso fosse reajustado levando em consideração a inflação do ano anterior e o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) registrado dois anos antes — o que permitiu aumento real durante esse período.

Essa regra, no entanto, deixou de valer no ano passado e não foi substituída por outra. Assim, o reajuste do ano passado e o previsto para o ano que vem seguiram apenas o dispositivo constitucional que garante a manutenção do poder aquisitivo dos trabalhadores — ou seja, exige a reposição da inflação.


A decisão tem relação com as contas públicas do país, porque pagamentos de benefícios previdenciários e sociais são indexados ao salário mínimo. Segundo cálculos do governo, a cada R$ 1 de aumento do piso, há um impacto de R$ 355 milhões sobre os cofres da União.
Hoje, o salário mínimo é de R$ 1.045, valor definido no fim de janeiro. Inicialmente, o presidente Jair Bolsonaro editou medida provisória fixando o piso nacional em R$ 1.039, considerando apenas a previsão de inflação.


O reajuste adicional de janeiro foi anunciado para corrigir uma defasagem entre a previsão para a inflação e o resultado oficial do INPC, que veio mais alto que o projeto e só foi divulgado no início daquele mês.

21/04/2020

Brasil tem 2.741 mortes e 43.079 casos de coronavírus, diz ministério

Brasil tem 2.741 mortes e 43.079 casos de coronavírus, diz ministério


O Ministério da Saúde divulgou nesta terça-feira (21) o mais recente balanço dos casos de coronavírus no Brasil. Os principais dados são:

2.741 mortes – na segunda, eram 2.575 (aumento de 6,4%)

43.079 confirmados – na segunda, eram 40.581 (aumento de 6,1%)

6,4% é a taxa de letalidade

em 7 dias, foram 1.005 mortes a mais (aumento de 58%)

São Paulo tem 1.093 mortes e 15.385 casos confirmados

24.305 recuperados

56,5% é a taxa de recuperação

Médicos alertam que Covid-19 pode atacar vários órgãos do corpo humano em pacientes graves

Médicos alertam que Covid-19 pode atacar vários órgãos do corpo humano em pacientes graves


Do Rio de Janeiro a Nova York, médicos observam a emergência de um novo padrão da Covid-19, à medida que ela se espalha pelo mundo e mais casos severos aparecem. Ele ataca não apenas os pulmões, mas também os rins, o fígado, o coração, o cérebro e os intestinos.
A Covid-19 pode atacar quase qualquer parte do corpo humano com consequências devastadoras, disse à revista Science, uma das bíblias da pesquisa mundial, o cardiologista Harlan Krumholz, da Universidade de Yale, e que lidera estudos nos Estados Unidos sobre os casos graves de Covid-19. "Sua ferocidade é arrasadora e tem nos deixado de joelhos", afirmou Krumholz.
A maioria dos pacientes graves tem sido acometida por microtrombos. Na circulação pulmonar, esses microtrombos não deixam o sangue chegar aos pulmões para remover o CO2 e levar oxigênio aos órgãos. Uma pesquisa publicada semana passada na revista Thrombosis Research mostrou que 38% de 184 pacientes de Covid-19 numa UTI holandesa tinham sangue coagulado de forma anormal.
Os coágulos sanguíneos bloqueiam a circulação nos pulmões e em outros órgãos. Em consequência, a pessoa pode sofrer embolia pulmonar. Se o rompimento for no cérebro, a vítima sofre um AVC, disse na Thrombosis Research Behnood Bikdeli, da Universidade de Columbia. Bikdeli está convencido que os microtrombos estão associados à gravidade e à letalidade do coronavírus.
Os pulmões costumam ser atacados primeiro. Neles, o coronavírus mata as células dos alvéolos e faz com que eles se rompam. O pulmão fica inflamado, e a circulação dos vasos do sistema respiratório é afetada, o que por si só pode matar.
Mas os rins também são severamente atingidos, e entre 40% e 60% dos pacientes internados em UTIs precisam de diálise. Os microtrombos afetam tão intensamente a circulação que seus efeitos são visíveis em necroses nas mãos e nos pés de alguns pacientes. A tendência crescente de casos de hipercoagulação, que leva aos microtrombos, tem transformado casos leves em críticos.
— Temos visto, por exemplo, muitos pacientes com microtrombos, dentro e fora dos pulmões, e com necrose nos dedos. A Covid-19 é uma doença extremamente grave e complexa — afirma a pneumologista Margareth Dalcolmo, pesquisadora da Fiocruz e colunista do GLOBO, um dos expoentes do combate da Covid-19 no Brasil.
'Ponta do iceberg'
Atrofia do baço, necrose dos gânglios linfáticos (onde são produzidas células de defesa), hemorragia dos rins, anomalias no fígado e degeneração de neurônios no cérebro foram observados em alguns pacientes, segundo a Science. E um terço dos pacientes hospitalizados nos EUA desenvolveram conjuntivite, mas não se sabe se o coronavírus ataca diretamente os olhos, como faz o ebola.
O respirador tão em falta no mundo é só a ponta do iceberg das necessidades e do sofrimento do corpo atacado pela Covid-19. Os rins bombardeados pelo coronavírus precisam de diálise e muitos necessitam do ECMO (abreviação de oxigenação extracorpórea por membrana), um equipamento que evita a intoxicação pelo CO2 acumulado devido à má oxigenação causada pela doença.
Há casos misteriosos de pessoas com níveis extremamente baixos de oxigênio, potencialmente letais, e que não demonstram sofrer de falta de ar. Uma hipótese é que o cérebro atacado não sinaliza ao corpo que ele precisa de ar. O ataque do vírus não apenas ao sistema respiratório, mas também ao sistema nervoso, é a hipótese mais provável para a perda de olfato e paladar, sintomas comuns na Covid-19.
A ciência ainda não desvendou como o coronavírus pode atacar o cérebro. Mas chamou atenção o caso de uma funcionária de uma companhia área nos EUA de 58 anos, sem comorbidades. Com diagnóstico de Covid-19, ela desenvolveu encefalopatia aguda necrotizante, uma doença rara e gravíssima.
Ela teve sintomas como desorientação e perda de memória em apenas três dias. O caso foi descrito na revista médica Radiology. A mulher sobreviveu, mas não se sabe se terá sequelas.
Vírus pode atacar órgãos
Inicialmente se pensava que os casos mais graves eram causados não pelo ataque direto do vírus propriamente dito, mas à resposta exagerada do sistema imunológico. Essa reação descontrolada, chamada tempestade imunológica, causa uma inflamação generalizada. 
Mas agora, segundo estudos publicados nas revistas Science, Lancet e New England Journal of Medicine, cientistas suspeitam que, embora ocorra também a tempestade imunológica, o ataque direto do vírus pode destruir órgãos e matar.
Se estima que 20% das pessoas com coronavírus adoecem com maior gravidade. Destas, 5% vão precisar de UTI. Nas que evoluem para casos mais graves, os sintomas começam a se tornar mais severos entre o oitavo e o 12º dia. Quase sempre, a pessoa começa a ter dificuldade para respirar, entra em fadiga respiratória. Esta pode ser tão intensa, que é preciso colocar o paciente de barriga para baixo na UTI (posição pronada).
A síndrome de angústia respiratória aguda (Sara) atinge os pacientes com Covid-19 grave, mas ela, como o respirador, é apenas uma parte da doença, afirma o médico intensivista Felipe Saddy, chefe da UTI Ventilatória do Copa D’Or, que também atende pacientes com coronavírus no Procardíaco.
— Os pacientes são acometidos pela formação de trombos com enorme intensidade, entre 40% a 60% deles sofrem insuficiência renal e precisam de diálise. Além disso, alguns pacientes começam a reter gás carbônico e entram em colapso respiratório. Eles podem morrer intoxicados por gás carbônico e precisam do ECMO — diz Saddy, que trata de dois pacientes nesta situação, um de 42 anos e outro de 61 anos.
Ele destaca que mesmo no pulmão, a doença apresenta diversas formas de acometimento:
— A Covid-19 é heterogênea no pulmão. O que é bom para um paciente não é bom para outro, nenhum se comporta da mesma forma. Não existe receita única para tratar pacientes com Covid-19. O tratamento tem que ser individualizado, e isso é um desafio imenso numa doença que causa adoecimento em massa — diz ele.
Comunidades podem viver 'massacre'
Saddy salienta que fatores como a genética da pessoa, e comorbidades, como diabetes e hipertensão, importam. Mas há pacientes em estado grave que não são idosos ou têm comorbidades. É o caso do paciente homem de 42 anos, apenas ligeiramente acima do peso.
Também é o caso de uma paciente de 33 anos em estado crítico e tratada pelo imunologista Marcelo Velho. Por dez dias ela apresentou Covid-19 sem maior gravidade, mas seu estado piorou a partir do décimo dia após o surgimento dos sintomas. Ela desenvolveu pneumonia grave, teve que ser submetida à diálise devido à insuficiência renal e está com sepsis (inflamação generalizada). Com quase 20 dias de doença, ela permanece grave.
Saddy está pessimista sobre as chances de tratar os casos graves à medida que o coronavírus se espalha e atinge comunidades de baixa renda:
— Não tenho a menor dúvida de quando bater nas comunidades vai ser um massacre. A Covid -9 nos desafia a toda hora — frisa.
A força do ataque do coronavírus
O coronavírus pode atacar muitos outros órgãos além dos pulmões, e médicos e cientistas alertam que estamos apenas no início da compreensão sobre os danos da Covid-19.
Pulmões
O Sars-CoV-2 invade as células dos alvéolos e começa a se replicar nelas. Células de defesa então tentam matar o vírus, mas acabam por causar inflamação. Atingidos por inflamação e pelo vírus, os alvéolos se rompem e a oxigenação do corpo é afetada. O paciente tosse, tem febre e dificuldade para respirar.
Fígado
Mais da metade dos pacientes hospitalizados apresentam sinais de danos ao fígado. As lesões poderiam ser causadas pelo sistema imunológico ou pelas drogas usadas no tratamento.
Rins
Lesões nos rins têm se tornado comuns nos casos graves e aumentam o risco de morte. O vírus já foi encontrado nos rins. Os danos podem ser causados tanto por ataque direto, como por inflamação ou ainda pelos microtrombos.
Intestinos
Há evidência de que o coronavírus penetra nas células do trato intestinal. Isso explicaria a diarreia observada em 20% dos pacientes.
Cérebro
Casos de derrames, convulsões, inflamação cerebral e confusão mental já foram observados em pacientes com Covid-19. Os médicos ainda não sabem se são causados pela ação direta do coronavírus ou pela inflamação associada a ele.
Olhos
Conjuntivite acomete com regularidade pacientes em estado grave.
Nariz
A perda de olfato tem sido frequente em pessoas com Covid-19. É possível que a multiplicação do vírus nas terminações nervosas do nariz cause o problema.
Coração e vasos sanguíneos
O coronavírus entra nas células se ligando a uma estrutura na superfície delas chamada receptor de ACE2.
A infecção pode levar a coágulos sanguíneos, inflamação no coração e foi associada a ataques cardíacos.

Aumento do consumo de álcool preocupa no período de confinamento.

Aumento do consumo de álcool preocupa no período de confinamento

O aumento do consumo de álcool durante o período de isolamento social provocado pela pandemia do novo coronavírus é preocupante.
Segundo dados, inicialmente, a bebida parece trazer euforia, mas, depois, diminui a ativação do freio do cérebro, chamado de lobo pré-frontal. As pessoas ficam com efeitos de mais sedação, mas um efeito colateral é o aumento da impulsividade. E ficando sem freio, pode ocorrer um aumento nos índices de violência, em especial, a doméstica e no número de feminicídios.
Como essa parte do freio do cérebro não está funcionando muito bem, a pessoa fica mais impulsiva, mais intolerante. Se houver intervenção de alguém da família no sentido de parar de beber, isso por si só já gera um descontentamento e uma reação.
Há uma semana, a Organização Mundial da Saúde (OMS) também manifestou preocupação com o tema. “O álcool não protege contra a covid-19, o acesso deve ser restrito durante o confinamento” é o título de um artigo que a entidade publicou em sua página na internet.
O crescimento do consumo de álcool acontece em um momento de isolamento, quando o acesso ao tratamento de dependências químicas está mais difícil. Além disso, algumas pessoas que aumentarem o consumo da bebida durante a reclusão poderão manter esse hábito pós-quarentena e, a longo prazo, isso pode vir a se transformar em uma dependência, que tem um componente biopsicossocial.
Aquelas pessoas que já têm uma vulnerabilidade biológica e uma predisposição genética para o alcoolismo, junto com uma capacidade emocional mais frágil, estão mais suscetíveis a seguirem bebendo após a quarentena e se transformarem em dependentes do álcool.

Atendimento on-line

Preocupada com o crescimento do consumo do álcool no país, a Abead lançou a campanha #sejaluz, para mostrar coisas positivas na internet, como os botecos virtuais, e orientando a respeito dos cuidados não apenas com o álcool, mas com o tabaco e outras drogas nessa fase de quarentena. “Porque é algo que a gente, provavelmente, vai pagar um custo para isso” acrescenta Renata Brasil Araújo.
Em outra frente, a Abead montou um trabalho voluntário com psiquiatras associados para atender, gratuitamente, até o próximo dia 26, dependentes químicos e seus familiares, pelas redes sociais. O foco são as pessoas de baixa renda que não teriam acesso a tratamento no curto prazo e que na ação recebem orientação em casa.
O serviço pode ser acessado pelo Facebook ou Instagram da associação, ou pelo número de ‘Whatsapp’: 51-980536208, pelo qual as pessoas podem marcar consulta e recebem o telefone do terapeuta, psicólogo ou psiquiatra. O atendimento é diário, das 8h às 22h.

Alcoolismo

Especializado no tratamento de dependentes químicos, o psiquiatra Jorge Jaber disse que, durante esse momento inédito em que o isolamento é imposto como forma de prevenção de uma doença, “as pessoas passaram a trazer para dentro de casa hábitos que tinham na rua, como o de beber socialmente”. Soma-se, ainda, possíveis dificuldades econômicas e muita ansiedade.
Jaber ressaltou também que, por conta do distanciamento social, muitos dependentes do álcool estão sem o suporte das reuniões presenciais de grupos de apoio, como os Alcoólicos Anônimos. “É importante lembrar a essas pessoas que as reuniões podem ser acompanhadas através do site da organização”, destacou.
Em entrevista à Agência Brasil, o psiquiatra ressaltou ainda que o consumo fora do controle de bebida alcoólica gera enfraquecimento na defesa do corpo, no sistema imunológico, favorecendo assim a contaminação de doenças, como a covid-19.

Violência

A promotora de Justiça do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, Lucia Ilózio, disse que alguns fatores podem agravar a violência doméstica contra a mulher. “Um deles é o consumo exagerado de bebidas alcoólicas. Esse elemento presente, da bebida alcoólica, pode favorecer, sim, uma maior exteriorização dessa violência”, disse.
Lucia Ilózio afirmou que existem outros fatores de risco, mas o consumo de álcool e drogas se destacam. Ela lembra que muitas mulheres, no isolamento social, não conseguem fazer denúncias, gerando assim subnotificações.
No Rio de Janeiro, existem locais de acolhimento às mulheres que sofrem agressões mesmo em tempo de quarentena. Um desses serviços é o Centro Especializado de Atendimento à Mulher (CEAM) Chiquinha Gonzaga, que está aberto das 10h às 14h e faz orientação por telefone e o primeiro atendimento mediante agendamento. O número que pode ser acessado é o (21) 99555-2151 ou o e-mail: ceamcg.smasdh@gmail.com.
As delegacias de atendimento à mulher (DEAMs) também estão funcionando e há possibilidade de fazer o registro online. Lúcia Ilózio orienta que a vítima deve narrar a violência que sofreu, indicar testemunhas e apresentar provas, como fotos, ‘print’ de mensagens, documentos, entre outras. O registro pode ser feito na internet.
O Núcleo de Defesa da Mulher Vítima de Violência de Gênero (NUDEM) da Defensoria Pública também segue funcionando pelo número (21) 97226-8267 e no endereço eletrônico: nudem.defensoriaj@gmail.com. O atendimento é feito das 11h às 18h, de segunda a sexta-feira. Após esse horário e aos sábados e domingos, o serviço pode ser acessado pelo telefone de plantão (21 3133-2247) e ‘Whatsapp’ (21 99753-4066) ou pelo endereço plantãodpge@yahoo.com.br.
Devido às restrições de locomoção do plano de emergência para conter a disseminação do coronavírus, as comunicações são feitas por formulário, na internet. Em casos de urgência, pode-se ligar ainda para o número 190, da Polícia Militar.

Responsive Full Width Ad

Copyright © 2018 Portal Vale do Paraíba | Du Pessoa Serviços Digitais (73) 9 8888 1488