Menu Right

Top Social Icons

Slider Area 1

Slider Area 2

Slider Area 3

Responsive Full Width Ad

Turismo

Notícias do Vale

Notícias Recentes

Saúde

Gastronomia

Turismo

Beleza

Saúde

Internacional

Famosos

ONGs

Pets

21/04/2020

Brasil tem 2.741 mortes e 43.079 casos de coronavírus, diz ministério

Brasil tem 2.741 mortes e 43.079 casos de coronavírus, diz ministério


O Ministério da Saúde divulgou nesta terça-feira (21) o mais recente balanço dos casos de coronavírus no Brasil. Os principais dados são:

2.741 mortes – na segunda, eram 2.575 (aumento de 6,4%)

43.079 confirmados – na segunda, eram 40.581 (aumento de 6,1%)

6,4% é a taxa de letalidade

em 7 dias, foram 1.005 mortes a mais (aumento de 58%)

São Paulo tem 1.093 mortes e 15.385 casos confirmados

24.305 recuperados

56,5% é a taxa de recuperação

Médicos alertam que Covid-19 pode atacar vários órgãos do corpo humano em pacientes graves

Médicos alertam que Covid-19 pode atacar vários órgãos do corpo humano em pacientes graves


Do Rio de Janeiro a Nova York, médicos observam a emergência de um novo padrão da Covid-19, à medida que ela se espalha pelo mundo e mais casos severos aparecem. Ele ataca não apenas os pulmões, mas também os rins, o fígado, o coração, o cérebro e os intestinos.
A Covid-19 pode atacar quase qualquer parte do corpo humano com consequências devastadoras, disse à revista Science, uma das bíblias da pesquisa mundial, o cardiologista Harlan Krumholz, da Universidade de Yale, e que lidera estudos nos Estados Unidos sobre os casos graves de Covid-19. "Sua ferocidade é arrasadora e tem nos deixado de joelhos", afirmou Krumholz.
A maioria dos pacientes graves tem sido acometida por microtrombos. Na circulação pulmonar, esses microtrombos não deixam o sangue chegar aos pulmões para remover o CO2 e levar oxigênio aos órgãos. Uma pesquisa publicada semana passada na revista Thrombosis Research mostrou que 38% de 184 pacientes de Covid-19 numa UTI holandesa tinham sangue coagulado de forma anormal.
Os coágulos sanguíneos bloqueiam a circulação nos pulmões e em outros órgãos. Em consequência, a pessoa pode sofrer embolia pulmonar. Se o rompimento for no cérebro, a vítima sofre um AVC, disse na Thrombosis Research Behnood Bikdeli, da Universidade de Columbia. Bikdeli está convencido que os microtrombos estão associados à gravidade e à letalidade do coronavírus.
Os pulmões costumam ser atacados primeiro. Neles, o coronavírus mata as células dos alvéolos e faz com que eles se rompam. O pulmão fica inflamado, e a circulação dos vasos do sistema respiratório é afetada, o que por si só pode matar.
Mas os rins também são severamente atingidos, e entre 40% e 60% dos pacientes internados em UTIs precisam de diálise. Os microtrombos afetam tão intensamente a circulação que seus efeitos são visíveis em necroses nas mãos e nos pés de alguns pacientes. A tendência crescente de casos de hipercoagulação, que leva aos microtrombos, tem transformado casos leves em críticos.
— Temos visto, por exemplo, muitos pacientes com microtrombos, dentro e fora dos pulmões, e com necrose nos dedos. A Covid-19 é uma doença extremamente grave e complexa — afirma a pneumologista Margareth Dalcolmo, pesquisadora da Fiocruz e colunista do GLOBO, um dos expoentes do combate da Covid-19 no Brasil.
'Ponta do iceberg'
Atrofia do baço, necrose dos gânglios linfáticos (onde são produzidas células de defesa), hemorragia dos rins, anomalias no fígado e degeneração de neurônios no cérebro foram observados em alguns pacientes, segundo a Science. E um terço dos pacientes hospitalizados nos EUA desenvolveram conjuntivite, mas não se sabe se o coronavírus ataca diretamente os olhos, como faz o ebola.
O respirador tão em falta no mundo é só a ponta do iceberg das necessidades e do sofrimento do corpo atacado pela Covid-19. Os rins bombardeados pelo coronavírus precisam de diálise e muitos necessitam do ECMO (abreviação de oxigenação extracorpórea por membrana), um equipamento que evita a intoxicação pelo CO2 acumulado devido à má oxigenação causada pela doença.
Há casos misteriosos de pessoas com níveis extremamente baixos de oxigênio, potencialmente letais, e que não demonstram sofrer de falta de ar. Uma hipótese é que o cérebro atacado não sinaliza ao corpo que ele precisa de ar. O ataque do vírus não apenas ao sistema respiratório, mas também ao sistema nervoso, é a hipótese mais provável para a perda de olfato e paladar, sintomas comuns na Covid-19.
A ciência ainda não desvendou como o coronavírus pode atacar o cérebro. Mas chamou atenção o caso de uma funcionária de uma companhia área nos EUA de 58 anos, sem comorbidades. Com diagnóstico de Covid-19, ela desenvolveu encefalopatia aguda necrotizante, uma doença rara e gravíssima.
Ela teve sintomas como desorientação e perda de memória em apenas três dias. O caso foi descrito na revista médica Radiology. A mulher sobreviveu, mas não se sabe se terá sequelas.
Vírus pode atacar órgãos
Inicialmente se pensava que os casos mais graves eram causados não pelo ataque direto do vírus propriamente dito, mas à resposta exagerada do sistema imunológico. Essa reação descontrolada, chamada tempestade imunológica, causa uma inflamação generalizada. 
Mas agora, segundo estudos publicados nas revistas Science, Lancet e New England Journal of Medicine, cientistas suspeitam que, embora ocorra também a tempestade imunológica, o ataque direto do vírus pode destruir órgãos e matar.
Se estima que 20% das pessoas com coronavírus adoecem com maior gravidade. Destas, 5% vão precisar de UTI. Nas que evoluem para casos mais graves, os sintomas começam a se tornar mais severos entre o oitavo e o 12º dia. Quase sempre, a pessoa começa a ter dificuldade para respirar, entra em fadiga respiratória. Esta pode ser tão intensa, que é preciso colocar o paciente de barriga para baixo na UTI (posição pronada).
A síndrome de angústia respiratória aguda (Sara) atinge os pacientes com Covid-19 grave, mas ela, como o respirador, é apenas uma parte da doença, afirma o médico intensivista Felipe Saddy, chefe da UTI Ventilatória do Copa D’Or, que também atende pacientes com coronavírus no Procardíaco.
— Os pacientes são acometidos pela formação de trombos com enorme intensidade, entre 40% a 60% deles sofrem insuficiência renal e precisam de diálise. Além disso, alguns pacientes começam a reter gás carbônico e entram em colapso respiratório. Eles podem morrer intoxicados por gás carbônico e precisam do ECMO — diz Saddy, que trata de dois pacientes nesta situação, um de 42 anos e outro de 61 anos.
Ele destaca que mesmo no pulmão, a doença apresenta diversas formas de acometimento:
— A Covid-19 é heterogênea no pulmão. O que é bom para um paciente não é bom para outro, nenhum se comporta da mesma forma. Não existe receita única para tratar pacientes com Covid-19. O tratamento tem que ser individualizado, e isso é um desafio imenso numa doença que causa adoecimento em massa — diz ele.
Comunidades podem viver 'massacre'
Saddy salienta que fatores como a genética da pessoa, e comorbidades, como diabetes e hipertensão, importam. Mas há pacientes em estado grave que não são idosos ou têm comorbidades. É o caso do paciente homem de 42 anos, apenas ligeiramente acima do peso.
Também é o caso de uma paciente de 33 anos em estado crítico e tratada pelo imunologista Marcelo Velho. Por dez dias ela apresentou Covid-19 sem maior gravidade, mas seu estado piorou a partir do décimo dia após o surgimento dos sintomas. Ela desenvolveu pneumonia grave, teve que ser submetida à diálise devido à insuficiência renal e está com sepsis (inflamação generalizada). Com quase 20 dias de doença, ela permanece grave.
Saddy está pessimista sobre as chances de tratar os casos graves à medida que o coronavírus se espalha e atinge comunidades de baixa renda:
— Não tenho a menor dúvida de quando bater nas comunidades vai ser um massacre. A Covid -9 nos desafia a toda hora — frisa.
A força do ataque do coronavírus
O coronavírus pode atacar muitos outros órgãos além dos pulmões, e médicos e cientistas alertam que estamos apenas no início da compreensão sobre os danos da Covid-19.
Pulmões
O Sars-CoV-2 invade as células dos alvéolos e começa a se replicar nelas. Células de defesa então tentam matar o vírus, mas acabam por causar inflamação. Atingidos por inflamação e pelo vírus, os alvéolos se rompem e a oxigenação do corpo é afetada. O paciente tosse, tem febre e dificuldade para respirar.
Fígado
Mais da metade dos pacientes hospitalizados apresentam sinais de danos ao fígado. As lesões poderiam ser causadas pelo sistema imunológico ou pelas drogas usadas no tratamento.
Rins
Lesões nos rins têm se tornado comuns nos casos graves e aumentam o risco de morte. O vírus já foi encontrado nos rins. Os danos podem ser causados tanto por ataque direto, como por inflamação ou ainda pelos microtrombos.
Intestinos
Há evidência de que o coronavírus penetra nas células do trato intestinal. Isso explicaria a diarreia observada em 20% dos pacientes.
Cérebro
Casos de derrames, convulsões, inflamação cerebral e confusão mental já foram observados em pacientes com Covid-19. Os médicos ainda não sabem se são causados pela ação direta do coronavírus ou pela inflamação associada a ele.
Olhos
Conjuntivite acomete com regularidade pacientes em estado grave.
Nariz
A perda de olfato tem sido frequente em pessoas com Covid-19. É possível que a multiplicação do vírus nas terminações nervosas do nariz cause o problema.
Coração e vasos sanguíneos
O coronavírus entra nas células se ligando a uma estrutura na superfície delas chamada receptor de ACE2.
A infecção pode levar a coágulos sanguíneos, inflamação no coração e foi associada a ataques cardíacos.

Aumento do consumo de álcool preocupa no período de confinamento.

Aumento do consumo de álcool preocupa no período de confinamento

O aumento do consumo de álcool durante o período de isolamento social provocado pela pandemia do novo coronavírus é preocupante.
Segundo dados, inicialmente, a bebida parece trazer euforia, mas, depois, diminui a ativação do freio do cérebro, chamado de lobo pré-frontal. As pessoas ficam com efeitos de mais sedação, mas um efeito colateral é o aumento da impulsividade. E ficando sem freio, pode ocorrer um aumento nos índices de violência, em especial, a doméstica e no número de feminicídios.
Como essa parte do freio do cérebro não está funcionando muito bem, a pessoa fica mais impulsiva, mais intolerante. Se houver intervenção de alguém da família no sentido de parar de beber, isso por si só já gera um descontentamento e uma reação.
Há uma semana, a Organização Mundial da Saúde (OMS) também manifestou preocupação com o tema. “O álcool não protege contra a covid-19, o acesso deve ser restrito durante o confinamento” é o título de um artigo que a entidade publicou em sua página na internet.
O crescimento do consumo de álcool acontece em um momento de isolamento, quando o acesso ao tratamento de dependências químicas está mais difícil. Além disso, algumas pessoas que aumentarem o consumo da bebida durante a reclusão poderão manter esse hábito pós-quarentena e, a longo prazo, isso pode vir a se transformar em uma dependência, que tem um componente biopsicossocial.
Aquelas pessoas que já têm uma vulnerabilidade biológica e uma predisposição genética para o alcoolismo, junto com uma capacidade emocional mais frágil, estão mais suscetíveis a seguirem bebendo após a quarentena e se transformarem em dependentes do álcool.

Atendimento on-line

Preocupada com o crescimento do consumo do álcool no país, a Abead lançou a campanha #sejaluz, para mostrar coisas positivas na internet, como os botecos virtuais, e orientando a respeito dos cuidados não apenas com o álcool, mas com o tabaco e outras drogas nessa fase de quarentena. “Porque é algo que a gente, provavelmente, vai pagar um custo para isso” acrescenta Renata Brasil Araújo.
Em outra frente, a Abead montou um trabalho voluntário com psiquiatras associados para atender, gratuitamente, até o próximo dia 26, dependentes químicos e seus familiares, pelas redes sociais. O foco são as pessoas de baixa renda que não teriam acesso a tratamento no curto prazo e que na ação recebem orientação em casa.
O serviço pode ser acessado pelo Facebook ou Instagram da associação, ou pelo número de ‘Whatsapp’: 51-980536208, pelo qual as pessoas podem marcar consulta e recebem o telefone do terapeuta, psicólogo ou psiquiatra. O atendimento é diário, das 8h às 22h.

Alcoolismo

Especializado no tratamento de dependentes químicos, o psiquiatra Jorge Jaber disse que, durante esse momento inédito em que o isolamento é imposto como forma de prevenção de uma doença, “as pessoas passaram a trazer para dentro de casa hábitos que tinham na rua, como o de beber socialmente”. Soma-se, ainda, possíveis dificuldades econômicas e muita ansiedade.
Jaber ressaltou também que, por conta do distanciamento social, muitos dependentes do álcool estão sem o suporte das reuniões presenciais de grupos de apoio, como os Alcoólicos Anônimos. “É importante lembrar a essas pessoas que as reuniões podem ser acompanhadas através do site da organização”, destacou.
Em entrevista à Agência Brasil, o psiquiatra ressaltou ainda que o consumo fora do controle de bebida alcoólica gera enfraquecimento na defesa do corpo, no sistema imunológico, favorecendo assim a contaminação de doenças, como a covid-19.

Violência

A promotora de Justiça do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, Lucia Ilózio, disse que alguns fatores podem agravar a violência doméstica contra a mulher. “Um deles é o consumo exagerado de bebidas alcoólicas. Esse elemento presente, da bebida alcoólica, pode favorecer, sim, uma maior exteriorização dessa violência”, disse.
Lucia Ilózio afirmou que existem outros fatores de risco, mas o consumo de álcool e drogas se destacam. Ela lembra que muitas mulheres, no isolamento social, não conseguem fazer denúncias, gerando assim subnotificações.
No Rio de Janeiro, existem locais de acolhimento às mulheres que sofrem agressões mesmo em tempo de quarentena. Um desses serviços é o Centro Especializado de Atendimento à Mulher (CEAM) Chiquinha Gonzaga, que está aberto das 10h às 14h e faz orientação por telefone e o primeiro atendimento mediante agendamento. O número que pode ser acessado é o (21) 99555-2151 ou o e-mail: ceamcg.smasdh@gmail.com.
As delegacias de atendimento à mulher (DEAMs) também estão funcionando e há possibilidade de fazer o registro online. Lúcia Ilózio orienta que a vítima deve narrar a violência que sofreu, indicar testemunhas e apresentar provas, como fotos, ‘print’ de mensagens, documentos, entre outras. O registro pode ser feito na internet.
O Núcleo de Defesa da Mulher Vítima de Violência de Gênero (NUDEM) da Defensoria Pública também segue funcionando pelo número (21) 97226-8267 e no endereço eletrônico: nudem.defensoriaj@gmail.com. O atendimento é feito das 11h às 18h, de segunda a sexta-feira. Após esse horário e aos sábados e domingos, o serviço pode ser acessado pelo telefone de plantão (21 3133-2247) e ‘Whatsapp’ (21 99753-4066) ou pelo endereço plantãodpge@yahoo.com.br.
Devido às restrições de locomoção do plano de emergência para conter a disseminação do coronavírus, as comunicações são feitas por formulário, na internet. Em casos de urgência, pode-se ligar ainda para o número 190, da Polícia Militar.

Cadastro de alunos para retirada de cestas básicas será de 22 a 24 de abril em Taubaté

Cadastro de alunos para retirada de cestas básicas será de 22 a 24 de abril em Taubaté

A Prefeitura de Taubaté, através da Secretaria de Educação, realiza de 22 a 24 de abril o cadastramento online dos alunos matriculados na rede municipal de ensino, para retirada de cesta básica no período de isolamento social.
A entrega da cesta é possível com base na Lei Federal nº 13.987 que autoriza, em caráter excepcional, durante o período de suspensão das aulas em razão de situação de emergência ou calamidade pública, a distribuição de gêneros alimentícios com recursos do programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) aos pais ou responsáveis dos estudantes de escolas públicas de educação básica.
Para receber o auxílio é necessário o cadastramento dos alunos pelo endereço www.taubate.sp.gov.br, com formulário disponível a partir desta quarta-feira (22).
Para o cadastro, o responsável pelo aluno irá responder um questionário para formalizar o interesse. Os discentes que apresentam restrição alimentar e precisam de alimentação específica também serão atendidos.
Caso não seja possível efetuar o cadastro via internet, o responsável deverá se dirigir a um polo de atendimento para a solicitação do auxílio.
As cestas, que serão distribuídas uma vez por mês, terão itens como arroz, feijão, macarrão, fubá, extrato de tomate, leite em pó, bolacha, café, achocolatado, sal, açúcar e produtos de hortifruti, como banana e tangerina.
Um outro kit composto por frutas, verduras e legumes serão disponibilizados toda semana.
A merenda escolar, distribuída diariamente, segue até o início da distribuição da cesta básica.

Quem tem auxílio emergencial negado pode fazer nova solicitação.

Quem tem auxílio emergencial negado pode fazer nova solicitação


O cidadão que tiver o auxílio emergencial de R$ 600,00 negado pode agora contestar o resultado da análise e pedir novamente o benefício diretamente pelo aplicativo ou site do programa. A atualização nas plataformas foi feita a partir desta segunda-feira (20), informou a Caixa Econômica Federal.
No aplicativo ou no site, quem receber o aviso de “benefício não aprovado” pode verificar o motivo e fazer uma contestação. Se o aviso for de “dados inconclusivos”, o solicitante pode fazer logo a correção das informações e entrar com nova solicitação, de acordo com a Caixa.
A responsável por informar o motivo do auxílio emergencial não ter sido aprovado é a Dataprev, estatal federal de tecnologia que analisa os dados informados pelo solicitante. O resultado é depois homologado pelo Ministério da Cidadania.
Para ter direito ao auxílio é preciso atender aos critérios estabelecidos pela legislação, como não ter emprego formal, não receber outro benefício do governo (com exceção do Bolsa Família), não ter renda familiar mensal maior que R$ 3.135,00 ou R$ 522,50 per capita (por pessoa), entre outros. As condições completas são descritas no site do programa.
Segundo a Caixa, responsável pelos pagamentos, as principais inconsistências nos dados informados pelos solicitantes são:
• marcação como chefe de família sem indicação de nenhum membro;
• falta de inserção da informação de sexo;
• inserção incorreta de dados de membro da família, tais como CPF e data de nascimento;
• divergência de cadastramento entre membros da mesma família;
• inclusão de alguma pessoa da família com indicativo de óbito.
CadÚnico
Os trabalhadores informais que possuem Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal, o CadÚnico, têm sua elegibilidade para receber o auxílio emergencial analisada automaticamente pela Dataprev.
Nesse caso, se tiver o auxílio negado mesmo acreditando ter direito ao benefício, o trabalhador também pode recorrer diretamente no aplicativo do auxílio emergencial ou no site do programa, informou a Caixa.

Restrição de imigração de Trump vai durar entre 30 e 90 dias.

Restrição de imigração de Trump vai durar entre 30 e 90 dias.

A nova ordem executiva do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, proibindo a imigração para o país, irá durar entre 30 e 90 dias com chances de renovação e irá se aplicar àqueles que buscam status de imigração permanente, informou uma autoridade do governo.
Outros trabalhadores como os dos vistos H1-B devem ser abordados em uma ação separada, disse a autoridade.
Ao retirar esse elemento mais complicado do decreto, o oficial afirmou que a ordem poderá estar pronta para a sanção de Trump já na terça ou na quarta-feira.
Trump anunciou em um tuíte na noite de segunda-feira que proibiria a imigração por conta do coronavírus e para proteger empregos de americanos.
Adversários viram a medida como uma tentativa de usar a crise para cumprir um objetivo de longa data de Trump de reduzir a imigração legal e ilegal.
O funcionário do governo, que falou em condição de anonimato, disse que a medida irá incluir exceções para pessoas envolvidas na resposta à pandemia de coronavírus, incluindo trabalhadores rurais e outros que estejam ajudando a garantir o fornecimento de alimentos nos EUA.
A autoridade disse que, quando o país começar a abrir sua economia, o fluxo migratório deve aumentar, e o governo queria garantir que os empregadores contratem de volta trabalhadores demitidos ao invés de oferecerem trabalhos para imigrantes pagando salários menores.
A Casa Branca não publicou os detalhes do decreto e Trump não disse quando sancionaria a medida. A autoridade afirmou que o trabalho estava avançado em relação ao decreto, com colaborações extensas dos Departamentos do Trabalho, Estado, e Segurança Doméstica.

16/04/2020

Prefeitura de Pindamonhangaba promove Virada Cultural Virtual para os artistas da cidade

Prefeitura de Pindamonhangaba promove Virada Cultural Virtual para os artistas da cidade


A Prefeitura de Pindamonhangaba e o Departamento de Cultura abrem inscrições de seleção para o evento “VIRADA CULTURAL VIRTUAL”. As inscrições acontecem do dia 16 ao dia 26 de abril, são gratuitas e são feitas somente pela internet, por meio do preenchimento de formulário on-line, no site da Prefeitura. A Virada Cultural Virtual vai acontecer de 9 a 17 de maio.
Serão selecionadas até 20 propostas de apresentações de tempo de duração livre, nas variadas áreas artístico-culturais e em diversas linguagens, como música, artes cênicas, dança, artes visuais, contação de histórias, literatura, entre outros. Todos os produtos selecionados estarão disponíveis nas plataformas digitais da Prefeitura de Pindamonhangaba, no Evento “VIRADA CULTURAL VIRTUAL”.
Podem se inscrever no evento pessoas físicas ou jurídicas nascidas ou residentes em Pindamonhangaba. A seleção será para artistas individuais e grupos que comprovem residir no mesmo endereço ou ainda propostas coletivas, que sejam gravadas remotamente e que a maioria seja composta por moradores do município, atendendo e cumprindo o isolamento domiciliar.
A diretora do Departamento de Cultura, Rebeca Guaragna Guedes, diz que esse evento visa valorizar as produções artísticas do município e é uma forma de levar cultura para as pessoas no isolamento. “Essa ação trará uma possibilidade de sustentabilidade econômica e social aos artistas da cidade e de levar cultura aos cidadãos que estão em isolamento neste momento”, afirma a diretora.
O Edital do evento e a inscrição online estão disponíveis no site da Prefeitura www.pindamonhangaba.sp.gov.br e para mais informações, só entrar em contato com a Secretaria de Cultura pelos telefones 3642-1080 ou 3643-2690.

Operadoras aéreas querem apoio de governos contra novo coronavírus

Operadoras aéreas querem apoio de governos contra novo coronavírus


Diante da redução de operações e de receitas, as operadoras aéreas da América Latina querem apoio dos governos para compensar as perdas. O pleito e os desafios durante a pandemia do novo coronavírus foram apresentados em entrevista coletiva concedida nesta quinta-fera pela Alta (Associação Latino-americana e do Caribe de Transporte Aéreo).
Segundo estimativas da associação, deve haver uma queda de 25% do tráfego de passageiros em março. Neste mês, a perda de passageiros pode chegar a 10 milhões no comparativo com o mesmo mês do ano anterior.
Contudo, pelo balanço da entidade Brasil e México operaram em patamar “quase normal”. A Alta também projetou as perdas em receitas para a região, que diante da pandemia devem alcançar até os US$ 18 bilhões.
Um problema adicional derivado do cancelamento de voos e do ajuste das operações é a demanda de resolução dos cancelamentos, como medidas de reembolso, de crédito ou de remarcação.
O diretor executivo da Alta, Luis Felipe de Oliveira, apresentou as demandas que a associação vem apresentando aos governos para mitigar as perdas decorrentes dessa redução significativa de operações.
“O que se pede é postergação para que não tenhamos que pagar de imediato ligado a custos governamentais, de prorrogar os pagamentos para reduzir o impacto no caixa das companhias aéreas”, ressaltou Oliveira.
O setor também deseja que as regras trabalhistas sejam flexibilizadas. O intuito é poder demitir trabalhadores durante um período e recontratar parte depois, quando a atividade voltar a um nível melhor.
“São trabalhadores especializados. Um piloto de avião, por exemplo, não vai ser caminhoneiro. Queremos uma exceção temporal de pagamentos ou encargos sociais para que tenhamos como ter essa mão de obra para que possa voltar a trabalhar”, defendeu o diretor executivo.
No tocante às compensações, Oliveira defendeu a extensão do prazo para reembolso. Segundo ele, a devolução concentrada em um curto espaço de tempo pode ter um impacto muito grande no balanço das firmas.
Uma das formas de mitigar esse problema pode ser a abertura de linhas de crédito por parte de instituições financeiras públicas. Estas seriam importantes para contribuir no caixa das empresas áreas.
BRASIL.
No caso do Brasil, que representa 40% do mercado da região, foram apresentadas propostas na linha da agenda formulada pela Alta. Em resposta, o governo federal editou a Medida Provisória Nº 925 no dia 18 de março com mudanças visando o socorro às empresas aéreas. Entre elas está a extensão do tempo para pagamento de tributos e taxas até dezembro de 2020.
A MP também permitiu o cancelamento das passagens com transformação do valor em crédito, sem necessidade de pagamento de taxas normalmente cobradas para este procedimento. Além disso, estipulou o prazo para ressarcimento dos valores, que passou a ser de até 1 ano.

Teich diz que não há 'competição' entre saúde e economia, e que está em total alinhamento com Bolsonaro

Teich diz que não há 'competição' entre saúde e economia, e que está em total alinhamento com Bolsonaro

Apresentado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) como novo ministro da Saúde, o médico Nelson Teich afirmou, em seu primeiro pronunciamento oficial, que "saúde e economia não competem e são complementares entre si".
Escolhido para a vaga de Luiz Henrique Mandetta, demitido nesta quinta-feira, Teich afirmou que há um "completo alinhamento" dele com o presidente. "Agora não vai haver qualquer definição brusca ou radical do que vai acontecer. Fundamental hoje é ter informação", disse.
Teich afirmou que o país deve investir em um programa de testes para o novo coronavírus, para identificar detalhes da doença e, aí sim, tomar as principais medidas. Ele, no entanto, deve seguir o discurso de Bolsonaro e adotar um posicionamento de flexibilização das atividades econômicas e medidas de isolamento decretas por governadores e prefeitos do país.
"Saúde e economia não competem entre si, são completamente complementares. Quando você polariza, você trata como se fosse pessoas x dinheiro, bem x mal, empregos x doentes. A gente nunca viveu isso", disse. "Vamos aprender ao longo do tempo como isso se comporta, e, para conhecer a doença, a gente vai fazer um programa de testes. Fundamental que a gente tenha avaliação, senão, vira um barco à deriva", completou.

O Vale do Paraíba ultrapassa 200 casos pela primeira vez e tem 221 positivos de coronavírus

O Vale do Paraíba  ultrapassa 200 casos pela primeira vez e tem 221 positivos de coronavírus

O Vale do Paraíba ultrapassou 220 casos confirmados do novo coronavírus. Somando os novos diagnósticos divulgados pelas prefeituras das cidades da região nesta quinta-feira (16), o Vale passou pela primeira vez de 200, chegando a 221 casos.
Trata-se de uma alta de 20% em relação ao dia anterior, a quarta-feira (15). São José dos Campos reúne mais da metade dos casos positivos, com 131 diagnósticos já confirmados. Seguem a sequencia Taubaté (15), Jacareí (14), Caraguatatuba (12), São Sebastião (dez), Igaratá (nove), Caçapava e Pindamonhangaba (seis cada), Lorena, Guaratinguetá, Ilhabela e Cruzeiro (três cada), Cachoeira Paulista e Tremembé (duas cada), alémde Ubatuba e Campos do Jordão, ambas com um caso confirmado.
Ao todo, a região ainda investiga 1.288 casos da nova doença. Já entre mortes, são 11 confirmadas e outras 51 suspeitas em toda a região, que só tem cinco cidades que ainda não registraram nenhuma notificação do coronavírus: Areias, Jambeiro, Monteiro Lobato, Natividade da Serra e Redenção da Serra.

Mandetta é demitido da Saúde; Bolsonaro indica novo ministro.

Mandetta é demitido da Saúde; Bolsonaro indica novo ministro.

Luiz Henrique Mandetta anunciou na tarde desta quinta-feira (16) que foi demitido pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) do Ministério da Saúde.
"Acabo de ouvir do presidente Jair Bolsonaro o aviso da minha demissão do Ministério da Saúde", escreveu, em sua conta no Twitter. "Quero agradecer a oportunidade que me foi dada, de ser gerente do nosso SUS, de pôr de pé o projeto de melhoria da saúde dos brasileiros e de planejar o enfrentamento da pandemia do coronavírus, o grande desafio que o nosso sistema de saúde está por enfrentar", disse.
O substituto de Mandetta ainda não foi anunciado de forma oficial, mas o novo ministro de Bolsonaro será o médico oncologista e empresário Nelson Teich, que atuou como consultor em sua campanha para a presidência.
O próprio Mandetta anunciou mais cedo que esperava ser demitido entre hoje e amanhã, após várias divergências públicas com Bolsonaro na estratégica de enfrentamento à epidemia de covid-19. Segundo o balanço de quarta-feira do Ministério da saúde, o novo coronavírus já infectou 28.320 pessoas no país, matando 1.736.
Em conferência online realizada pelo FIS (Fórum de Inovação Saúde), o próprio Mandetta afirmou também que, apesar da perspectiva de que deixe o cargo, ele e sua equipe tentarão não fazer uma saída brusca.
"Temos uma perspectiva de troca aqui no ministério. Deve ser hoje, no mais tardar amanhã, mas enfim, espero se concretizar", disse Mandetta.
Nas últimas semanas, Mandetta e Bolsonaro divergiram publicamente em relação às medidas de isolamento social e ao uso de medicamentos à base de cloroquina para o tratamento de pacientes com a covid-19. Bolsonaro chegou a fazer pronunciamentos anunciando os supostos benefícios da droga, enquanto Mandetta defendia que era necessário estudar mais a fundo os efeitos do medicamento.
Quanto ao isolamento, Bolsonaro é a favor de medidas menos restritivas, em nome da economia, e chegou a passear várias vezes pelas ruas de Brasília. Mandetta defende medidas mais amplas de distanciamento social, em especial nas capitais mais afetadas, como São Paulo, Rio de Janeiro, Fortaleza, Brasília e Manaus.

13/04/2020

Morreu hoje, Moraes Moreira

Morreu hoje, Moraes Moreira


O cantor baiano Moraes Moreira morreu nesta segunda-feira (13) no Rio de Janeiro. Segundo o Blog do Marrom, que informou em primeira mão a notícia, o também cantor e compositor Paulinho Boca de Cantor confirmou a informação. Muito emocionado, Paulinho mal conseguia falar e contou que ele faleceu durante o sono.
Moraes sofreu um infarto agudo do miocárdio, segundo a assessoria. Não há informação sobre quando e onde será o sepultamento. Ele estava em sua casa, na Gávea, ao falecer - ele vivia sozinho e já foi encontrado morto. O cantor deixa dois filhos, o também músico Davi Moraes e Maria Cecília, e dois netos, Alice e Francisco.

Sobe para 100 o número de casos confirmados de coronavírus em São José dos Campos

Sobe para 100 o número de casos confirmados de coronavírus em São José dos Campos

A Prefeitura de São José dos Campos informou na tarde desta segunda-feira (13) que a cidade chegou ao número de 100 casos confirmados de coronavírus. Conforme o boletim epidemiológico, destes, 3 faleceram e 34 se recuperaram.
O terceiro óbito pela doença foi confirmado na manhã desta segunda-feira. Trata-se de um homem de 39 anos, que era hipertenso, e morreu no domingo (12) em um hospital privado da cidade.
Dos 97 casos positivos restantes, apenas dez estão internados. Outros 34 são considerados recuperados e terminaram o período de quarentena sem apresentar os sintomas do coronavírus.
A cidade ainda investiga 454 casos. Destes, 13 são óbitos e 43 estão internados.

Responsive Full Width Ad

Copyright © 2018 Portal Vale do Paraíba | Du Pessoa Serviços Digitais (73) 9 8888 1488